terça-feira, 26 de maio de 2009

O QUE VEM POR AÍ!

30/05: Curso de monitoramento de peixes dos riachos da Serra do Japi para monitores da APA. O curso será realizado nas dependências da Mata Ciliar em Jundiaí e tem como objetivo colaborar para a formação e capacitação dos profissionais que recebem os turistas e visitantes na APA estadual.

Semana de 01/06 - Dia Internacional do Meio Ambiente

Em comemoração a semana do meio ambiente, a Mata Ciliar em parceria com o Shopping Paineiras, distribuirá mudas de plantas nativas aos clientes e funcionários do shopping. Participará também das comemorações no Parque da Uva e no Mercadão de São Paulo.

Maiores informações em breve no blog!

Visita de escola de Jarinu à Associação Mata Ciliar

Dentro do projeto “De Olho nos Rios”, cerca de 50 crianças de uma escola pública do município de Jarinu visitaram, no dia 18 de maio, as instalações da Mata Ciliar em Jundiaí.

As crianças puderam entrar em contato com a problemática do lixo no galpão de reciclagem, aprendendo o que são os 3 Rs (reduzir, reutilizar e reciclar) e o que praticar no cotidiano visando a redução do volume de lixo.


Para as crianças, a visita foi inovadora! A maioria delas nunca tinha tido contato com a natureza e com os questionamentos sobre os problemas ambientais. Elas aprenderam a plantar uma árvore e conheceram os animais que vivem no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) e no Centro Brasileiro de Felinos Selvagens.

O projeto "De Olho nos Rios" é desenvolvido pela Associação Mata Ciliar desde 1997 e visa contribuir para a conservação e proteção dos mananciais de abastecimento formadores das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Para tal, promove ações de gestão integrada desses recursos hídricos junto à população rural de 19 municípios da região. Todas as ações previstas no projeto têm como objetivo o resgate cultural, a independência e geração de consciência crítica do público envolvido e a geração de emprego e renda através da implantação de alternativas econômicas junto à população rural. O projeto tem apoio da CATI regional de Bragança Paulista e patrocínio da Petrobras, através do programa Petrobras Ambiental.

Dia da Cidadania e Solidariedade em Jundiaí

No dia 16 de maio a Mata Ciliar participou de um evento chamado "Dia CSJ - Cidadania e Solidariedade", promovido pela Companhia de Saneamento de Jundiaí na EMEB Ivo de Bona, no Parque Almerinda Chaves.

O convite à Mata surgiu porque no bairro Novo Horizonte, um dos que a escola abrange, aparecem muitos animais e há momentos em que a população considera a possibilidade de matá-los. Daí a importância do esclarecimento sobre a importância da preservação e sobre o porquê não se deve ter animais em casa, o que foi feito pela equipe da Mata presente no evento.


O Dia CSJ contou com a participação do Centro de Controle de Zoonoses e Polícia Ambiental e ofereceu serviços a comunidade, como assistência médica e odontológica. Veja mais detalhes aqui.
IMPACTOS DAS AÇÕES DO HOMEM NOS ANIMAIS SILVESTRES
É muito comum colocarmos no blog notícias de apreensão e chegada de animais silvestres no CRAS da Mata Ciliar, demonstrando o quanto algumas ações do homem podem ser maléficas para o equilíbrio do meio ambiente e a qualidade de vida de alguns animais.

No dia 29 de abril uma apreensão na cidade de Atibaia levou mais quatro animais ao centro de reabilitação, exemplificando mais uma vez a problemática da comercialização e da tentativa de domesticação de animais silvestres. Um Cabeça-seca (Mycteria americana), uma Biguatinga (Anhiga anhiga), um Teiú (Tupinambis merianae) e um Ouriço-cacheiro (Sphigurus villosus) estavam na casa de uma pessoa e não estavam em bom estado de saúde quando chegaram ao CRAS.

O Ouriço ficava em uma gaiola extremamente pequena para o seu tamanho, o Cabeça-seca vivia em um banheiro, o Teiú estava com a narina machucada de tanto bater na gaiola e o Biguatinga é um filhote. Como exceção do Cabeça-seca, que é uma ave do Pantanal, todos os animais apreendidos são da região.

O Ouriço e o Teiú se recuperam bem e foram soltos, felizmente. O Cabeça-seca será destinado para um zoológico. O Biguatinga é filhote e é muito manso, o que impossibilita sua soltura. Ou seja, de quatro animais tirados da natureza, dois acabaram condenados à vida em cativeiro.


O Cabeça-seca é uma ave do pantanal e será transferido para um zoológico. Não poderá ser solto na natureza!





O Biguatinga filhote é muito manso. Não poderá ser solto na natureza!


Veja outras histórias de animais apreendidos aqui.


Não incentive o comércio de animais silvestres e denuncie ações de tráfico e desmatamento!
Fotos do filhote de Gato-do-Mato-Pequeno; faça sugestão de um nome!






Quase um mês depois que chegou à Mata Ciliar (veja história aqui), o filhote macho de gato-do-mato-pequeno felizmente está muito bem de saúde. Agora a equipe do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres está escolhendo um nome para o novo morador. Já há votos para "Marley", mas estamos abertos à sugestões. Caso você tenha alguma, escreva para comunicacao@mataciliar.org.br .

terça-feira, 19 de maio de 2009

20/05/209 - Sobre a votação do PL 7291/06: a Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Câmara dos Deputados, adiou, na última hora, a votação do PL. Os deputados Bel Mesquita (PMDB-PA), Carlos Abicalil (PT-MT), Paulo Rubem Santiago (PDT-PE) e João Matos (PMDB-SC), que defendem a apresentação dos animais em circos, fizeram uma solicitação coletiva de "Vistas ao Projeto". A votação foi adiada por um prazo de duas sessões, devendo voltar à pauta assim que decorrido o prazo. Agora, mais do nunca, é o momento de todos escreverem e pedirem urgência na votação do projeto de lei.
A Associação Mata Ciliar apóia:

Fonte imagem: WSPA Brasil



Amanhã, dia 20 de maio, está agendada a votação do PL 7291/06 na Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, em Brasília. A expectativa em relação à votação é muito grande, pois, uma vez aprovado, o PL institucionaliza uma lei federal que proibirá o uso de animais em circos em todo o território brasileiro.

Entenda melhor o histórico da proposta de lei que pretende proibir, em definitivo, o uso de animais em circos no Brasil - Clique aqui. Acompanhe o resultado da votação pela internet e, se for caso, escreva para os membros da comissão ressaltando a importância da aprovação da lei.

Participe também: abaixo-assinado em prol da ratificação da proibição da caça de baleias!


segunda-feira, 18 de maio de 2009



Parceria Associação Mata Ciliar - Scholle

A empresa Scholle LTDA é uma grande parceira do meio mmbiente e tem umsério compromisso com a natureza. Pensando nisso, a diretoria da empresa criou internamente três comitês, divididos em comitê Ambiental, Social e de Reciclagem, com objetivo de melhor desenvolvimento dos projetos junto à sociedade. Os integrantes dos comitês são colaboradores da própria empresa que trabalham em prol da preservação do meio ambiente e em ajuda constante à sociedade.

Os objetivos dos comitês estão divididos em três etapas: educar, preservar e agir. Para colocar os projetos em prática, a empresa Scholle fez uma grande parceria com a Associação Mata Ciliar. Um dos frutos dessa parceria é o voluntariado que ocorre toda terceira quinta-feira de cada mês, onde os colaboradores da empresa de diversos departamentos e funções dedicam meio período do seu dia de trabalho para dedicação ao meio ambiente. Os voluntários auxiliam nos cuidados com os animais silvestres, trabalham no reflorestamento e em atividades sociais.

A empresa e seus colaboradores acreditam que ainda há tempo de abrir os olhos ao amanhecer e enxergar um novo dia, onde não haverá destruição e a prioridade será apenas uma...A VIDA!!! Seja a do homem, das plantas, dos animais ou do PLANETA.

Um ótimo mundo a todos!!!

(texto elaborado por Éser, Natália e Grazielle, Comitê de Meio Ambiente da Scholle).
Veja abaixo as fotos do último dia de trabalho dos voluntários na Mata (14/05):






"Abrir a porteira para o desenvolvimento sustentável”

Turismo Rural em Águas de Lindóia

Vivenciar o sonho da roça. Esta foi a abordagem principal feita pelo Engenheiro Agrônomo Ricardo Moncorvo Tonet, da Casa de Agricultura de Amparo, que ministrou um curso de Turismo Rural para proprietários rurais de Águas de Lindóia nos dias 11 e 12 de maio.
Tonet mostrou as possibilidades de geração de renda, aproximação das pessoas e desenvolvimento sustentável através da visão do turista, que chega em busca de uma alternativa de contato com o cheirinho da infância, com o gostinho da comida da vó, um papo descompromissado, além de ver o verde, ouvir os sons da natureza e participar da vida caipira, como uma oportunidade também de fugir da situação caótica dos centros urbanos e vivenciar o folclore, a história etc.

Para os proprietários, o Turismo Rural pode ser visto como uma oportunidade de revitalização da economia das áreas rurais e de apresentação dos materiais da roça, alimentos, artesanato, mostrando o que é do local.

E a região de Águas de Lindóia é propícia para isso, pela paisagem privilegiada e pela presença de turistas que já visitam a região. Sem contar as pessoas simpáticas, de origem da família italiana, que moram no município, pois o Turismo Rural se faz com pessoas, com gente, com o bom papo e o acolhimento.

Durante o curso, Tonet comentou que o turismo é a capacidade de emocionar, resgatar lembranças, ver uma amoreira florida e essa visão ficar marcada em sua memória. A preservação do meio ambiente estaria como algo conjunto no desenvolvimento dessas atividades, como comer amoras sem defensivos agrícolas, por exemplo.


O projeto "De Olho nos Rios" visa contribuir para a conservação e proteção dos mananciais de abastecimento formadores das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Para tal, promove ações de gestão integrada desses recursos hídricos junto à população rural de 19 municípios da região. Todas as ações previstas no projeto têm como objetivo o resgate cultural, a independência e geração de consciência crítica do público envolvido e a geração de emprego e renda através da implantação de alternativas econômicas junto à população rural. O projeto tem apoio da CATI regional de Bragança Paulista e patrocínio da Petrobras, através do programa Petrobras Ambiental.



terça-feira, 12 de maio de 2009


Divulgação Internacional

Matéria sobre o Centro Brasileiro de Felinos Selvagens na National Geographic




Plantios em Socorro e Várzea Paulista

Os plantios de mudas do projeto de 180 mil árvores em Socorro fecharam o mês de abril com a marca de 10 mil novas mudas plantadas em diversas propriedades. E a aprovação dos moradores da cidade em relação ao projeto vem crescendo cada vez mais: hoje a Prefeitura não precisa mais procurar proprietários oferecendo o plantio de mudas. Eles mesmos procuram a Prefeitura querendo fazer o plantio em suas áreas.

“Esse é o melhor retorno que podemos ter desse tipo de projeto, pois sabemos que estamos tocando as pessoas, que há mudanças de atitude”, diz Jorge Bellix, coordenador do “De Olho nos Rios” e presidente da Associação Mata Ciliar, depois do último plantio realizado, no dia 7 de maio.

E no mesmo ritmo, teve início no dia 1 de maio o plantio de 11,4 mil árvores em Várzea Paulista, uma parceria da Associação Mata Ciliar/Projeto “De Olho nos Rios” com a Prefeitura da cidade e a empresa multinacional Metacortex. O plantio em Várzea Paulista visa a compensação de emissão de CO2 por parte de grandes empresas e a previsão é que o plantio neutralize duas mil toneladas de CO2 na atmosfera da cidade.

INÍCIO DO PLANTIO EM VÁRZEA PAULISTA


Uma das empresas que está investindo na neutralização de carbono é a rede de hotéis Tívoli, de São Paulo, que no dia 9 de maio levou 30 funcionários à Várzea Paulista para fazer um plantio simbólico no Parque Ecológico da cidade. Depois do plantio, o grupo foi até às instalações da Mata Ciliar em Jundiaí, onde saborearam um café da manhã preparado especialmente pela Escola Técnica Estadual Benedito Storani, parceira da Mata, e fizeram visita monitorada ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres e ao Centro Brasileiro de Felinos Selvagens, para conhecer o trabalho feito com animais.

Veja abaixo fotos e vídeo da visita do grupo à Mata Ciliar:

video






O projeto "De Olho nos Rios" visa contribuir para a conservação e proteção dos mananciais de abastecimento formadores das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Para tal, promove ações de gestão integrada desses recursos hídricos junto à população rural de 19 municípios da região. Todas as ações previstas no projeto têm como objetivo o resgate cultural, a independência e geração de consciência crítica do público envolvido e a geração de emprego e renda através da implantação de alternativas econômicas junto à população rural. O projeto tem apoio da CATI regional de Bragança Paulista e patrocínio da Petrobras, através da Petrobras Ambiental.

Fotos de cursos em Amparo, Bragança Paulista e Socorro e atividades programadas (maio e junho)

O projeto “De Olho nos Rios” vem promovendo uma série de cursos para moradores das áreas rurais de vários municípios, conforme noticiado nas últimas semanas no blog. Veja abaixo algumas fotos dos últimos cursos realizados:

25/04 – Aproveitamento Integral de Frutas e Hortaliças, em Bragança Paulista






30/04 – Derivados de Leite, em Socorro



video






04/05 – Aproveitamento Integral de Frutas e Hortaliças, em Amparo







PRÓXIMAS ATIVIDADES PROGRAMADAS

16/05 – Curso Artesanato – Macramê, em Bragança Paulista

16/05 – Encontro de Conexões, em Pinhalzinho

23/05 – Curso Artesanato de linhas e fitas, em Socorro

26/05 – Visita de escola de Jarinu às instalações da Mata Ciliar em Jundiaí

30 e 31/05 – Curso para monitores da Serra do Japi, em Jundiaí

06/06 – Curso Costura em Retalhos (Moda Caipira), em Bragança Paulista


O projeto "De Olho nos Rios" visa contribuir para a conservação e proteção dos mananciais de abastecimento formadores das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Para tal, promove ações de gestão integrada desses recursos hídricos junto à população rural de 19 municípios da região. Todas as ações previstas no projeto têm como objetivo o resgate cultural, a independência e geração de consciência crítica do público envolvido e a geração de emprego e renda através da implantação de alternativas econômicas junto à população rural. O projeto tem apoio da CATI regional de Bragança Paulista e patrocínio da Petrobras, através da Petrobras Ambiental.